Nunca julgues as pessoas...

Carolina, tinha 16 anos e era uma rapariga que tinha muitos amigos na escola, achava-se uma pop-star, era uma aluna satisfatória, e estava sempre a achar-se superior perante os outros. O seu dia-a-dia, era levantar-se de manhã cedo para arranjar tempo para se pentear, maquilhar, e acima de tudo, vestir-se bem, tomar o seu pequeno almoço, e ir para a escola. 
Na escola, era conhecida como a menina rica da Secundária. Ela amava achar-se superior aos outros, e dizia que já tinha tido muitas relações, quando era tudo mentira.

Houve uma noite, em que Carolina estava a sair de casa, mal acaba de bater a porta, é puxada para dentro de um carro e levada para uma garagem onde ela desconhecia o lugar à sua volta. O que aconteceu? Carolina foi violada.
Passaram dias após essa noite, e na secundária criavam-se coxixos acerca da sua ausência, ausência da famosa Carolina.

Durante esses dias, semanas, Carolina encostou-se a um canto do seu quarto, e chorou... chorou.. e chorou. Pensou em tudo o que tinha feito de mal, a todos os seus colegas desde a primária até agora. Culpou-se de tudo e mais alguma coisa. Chegou o dia de ela dirigir-se junto de um médico, ela sentia voltas na barriga e vómitos. Sim, ela estava grávida. Foi a queda total... Carolina pensou em matar-se, mas não o fez, pensando no ser que ia nascer dentro dela.

Passaram-se meses, longos meses... Carolina já tinha ido à escola, andava sempre com a sua maquilhagem borratada, e já não se interessava por ser-se superior ou não.. Sentia-se como uma coitadinha. A barriga, a cada dia aumentava mais, era a criação do ser. Já tinha ultrapassado a fase de chorar, e agora, orgulhava-se da criança. Foi-lhe detectado um problema, a criança não tinha forças suficientes para ser posta ao mundo, tinha problemas de coração. Era rapaz, sim, escolheu-lhe o nome de Afonso.

Plena manhã de sábado, Carolina sente água a escorrer-lhe pelas pernas abaixo. A criança estava prestes a sair. Foi levada de urgência devido ao estado de problemas que o Afonso tinha.
Entrou na sala de partos. O barulho das máquinas atrapalhava-a e ela não se conseguia acalmar, via mais de dez pessoas entre médicos e enfermeiros. A criança nasceu, diagnosticaram-lhe problemas nos rins e no coração, precisava de um doador, sendo criança ou adulto, necessitava. Carolina, sem pensar uma única vez na sua vida, para trás ou como seria em diante, quis doar do corpo dela, tudo o que ele necessitava para puder viver bem e com saúde.

Carolina morreu numa fria tarde de sábado, onde o vento agitava fortemente, e as folhas das árvores voavam por entre as ruas. Afonso ficou com os avós, que souberam das coisas mais tarde, devido à sua permanência num país estrangeiro longe de Carolina. Carolina, não contou nada a ninguém e guardou tudo para si.

Passou-se uma década, passaram-se duas.. Afonso, com 23 anos, foi habituado a ritual que decidiu sozinho... Visitar a sua falecida mãe, todos os dias. Passaram-se mais uns longos meses. Afonso, de manhã cedo, levantou-se e dirigiu-se ao cemitério. Conversou com a sua falecida mãe, e disse-lhe: "Mãe, não sei se hei-de viver por mim... Se hei-de viver por ti. Desculpa-me de algum erro. Amo-te eternamente!".
Mal Afonso, saiu daquele estranho e misterioso cemitério, foi atropelado... Levaram-no para o hospital, e o resultado das máquinas foi: Pi, Pi, Pi, Pi, Pi, Piiiiiiii. Afonso morreu.

Nunca julgues as pessoas por fora. Carolina, mesmo achando-se superior a todos os outros, doou os seus órgãos ao seu filho, mesmo este não tendo um final feliz.



This entry was posted on sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

30 Responses to “Nunca julgues as pessoas...”

Filipa disse...

« é pena Afonso ter morrido, ia ter uma longa história para contar mas acima de tudo muito bonita, pois teria que ter uma orgulho por sua mãe. »
gostei mesmo*

Simonne disse...

meu deus, arrepiei-me imenso :o
AMO, AMO, AMO !

sofs *-* disse...

eu já te disse que está lindo.
continua a escrever irmão :D

Andy disse...

Fiquei estupefacta, como uma pessoa da tua idade já tem ideias tão bem formadas em relação a um assunto tão forte, sabes?
Mas eu sempre achei isso de ti, que para a tua idade já muita coisa que fez compor ideias e te obrigou a crescer tão depressa.
Isto que contaste, acontece mesmo e embora a história não seja verídica está bastante bem contada.
E o acabamento do texto diz exactamente o que eu acho perante as pessoas, todas elas têm um lado bom, queiram ou não acreditar, todas têm um lado bom.
Amei miminho, continua <3

Anónimo disse...

Eu não sei onde vais buscar estas ideias muito sinceramente. Escreves sobre histórias que podem perfeitamente acontecer à nossa volta sem que nós reparemos. Todos os detalhes são fortes, marcantes e até assustadores. Mas é de louvar como é que alguém como tu consegue debruçar-se e escrever sobre estes assuntos. Estás mais uma vez de parabéns,Joãozinho.
E não, nunca devemos julgar alguém só pela sua fachada, porque no fim do dia, os seus bastidores é que serão determinantes.
Adoro-te <3

jéssica pereira disse...

:o arrepiante, mas no entanto "uaaau". como escreves bem !

jéssica pereira disse...

se não achas, achas mal :b

sofs *-* disse...

Obrigada :$
Sim, foi a primeira vez que escrevi algo assim mesmo. que exagero, mas obrigada :D
ahh .. AMO-TE IRMÃO «3

mafalda fernandes ♥ disse...

arrepio-me toda quando ouço esta musica ..

desde ja obrigado por seguires e muito simpatico da tua parte :)

márcia disse...

juro que me arrepiei :x
adoro a forma ocmo consegues passar os teus pensamentos para palavras. parabéns :)
ps: também te tou a seguir*

Cárina Silva disse...

Obrigada por te teres tornado seguidor do meu blog ;) Adorei o texto, também já te estou a seguir, beijinho*

LilianaAlves * disse...

amo o que escreves :o

JoanaPeixoto disse...

powww, sem palavras :o

isto está algo de.. arrepiante mas ao mesmo tempo tão lindooo :$

Vanessa disse...

obrigado .



adorei este texto, está... lindo! adorei


*seguindo

Tisha. disse...

infelizmente, existem muitas "Carolinas".
gostei, vou seguir também :)

m* disse...

oh, obrigada!
tbm estou a seguir

Anniee. disse...

obrigada, também te vou seguir ;D
arrepiei-me com este texto, juro :s :o

Anniee. disse...

tens muito jeitoo (:
quem me dera escrever assim.

Im(Perfeita) disse...

Adorei o texto :D

Obrigada por teres gostado do meu blog... =D

micróbio disse...

Gosto deste tipo de historias, vou seguir!!

Parabens

mariana costa disse...

também gostei imenso, sigo também *

Lєтıs '' disse...

. gostei muito :o

cristina f. disse...

obrigado, também gosto do teu (:
sigo *

Ines disse...

estou arrepiada :o

yasmim disse...

obrigada, também vou seguir

Maggs disse...

obrigada :)

Cátia Mourisca disse...

Obrigada(:

Marta ☮ disse...

obrigada, segui também *

Marta ☮ disse...

obrigada, segui também *

Filipa disse...

muito obrigado :)