Foi o fim.


Já fiz as malas, já abri a porta, estou pronta para ir, pois não há maneira de mudares as tuas atitudes frias para mim. Fico sempre á espera de mais, mas o mais nunca chega. E não digas que nada me chega, eu só te peço atenção, só te peço que me ouças, só te peço que me ames, assim como eu te amo. Mas tu não queres, tu não te decides. Hoje não vou bater o pé, hoje vou agir. Não venhas com flores, com palavras caras, com lágrimas fingidas, nada vai resultar.

Mas para quê tanta coisa, se as únicas palavras que te tenho a dizer é: fica comigo.
Não partas, não te vás embora, não me deixes sozinho neste mundo. Quero o teu abrigo, o teu apoio, o teu amor, a tua confiança, a tua mão, os teus lábios, o teu sorriso, a tua face. Desfaz as malas e anda correr o mundo comigo de mão dada. Não me deixes sem o teu abraço, sem o meu ponto de abrigo, sem o aconchego do meu coração. Fecha os olhos, e vem sonhar comigo..

Não posso, hoje não. Não posso acreditar, tenho que resistir. Para que acreditar, no que dizes, se volta sempre ao mesmo? Para que, sorrir, e pensar que mudou, se amanhã, voltas a deixar-me sozinha, e eu vou ter que fazer, novamente, as malas. O teu olhar, já não é sincero. As tuas palavras, já não me transmitem confiança. O teu toque, já não é quente. Nós já não somos nós. Queria perceber o porque, mas tu não deixas. Caímos na ilusão do " ser felizes para sempre".

Não, não acredites no passado, não acredites nas ilusões, acredita no presente, acredita em nós, no nosso amor. Já não aguento esta tua ausência do meu coração, está sozinho, está com falta de alguém, e esse alguém és tu. Dá-me um abraço, daqueles cheios de ternura, e do teu amor. Beija-me, transmite-me aquele teu amor. Dá-me conforto. Dá-me amor. Vamos esquecer isto tudo, e viver o presente, o nosso amor está em causa. Dá-me a mão mais uma vez, fecha os olhos, e deixa-te sonhar. Estamos a chegar ao nosso castelo.

Vais ter que chorar o que eu chorei, vais ter de passar, o que eu passei. As tuas noites, vão ser frias e vão ser passadas em branco. Não é sempre como tu queres, não tens o mundo na mão. Vais esperar, e vais andar com a mão esticada por uns tempos, assim como eu andei. Acredita que eu quero voltar, que quero voltar a sentir que te tenho do meu lado, mas não posso. Mesmo tendo , o coração cheio de coisas, para te dizer, não posso, nem consigo.

Dá-me uma última oportunidade, deixa-me dizer-te um último adeus, umas últimas palavras, e um último beijo. Já não aguento mais, estou me a desfazer aos poucos se era isso que tu querias. Vem-te despedir de mim, estou quase a morrer. Um dia vais te arrepender de me teres deixado aqui sozinho, neste local frio e escuro. pi pi pi pi pi piiiiiiiiiiiiiiiiiiii…

Quando amas alguém, não a deixes para trás independentemente do passado!

Eu quis, mas não deu. Tentei, mas não consegui. Foi o fim.

Texto escrito por:
João Almeida - palavras para quê .
Joana Pina - um desenho sem cor

This entry was posted on sábado, 13 de novembro de 2010. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

4 Responses to “Foi o fim.”

Joanne disse...

somos bons , basta sentir. Quando precisares , pedes, sabes que não te vou negar. Ucraniano dmv <3

Marta D'Almeida disse...

óh, obrigada a sério :'DD

Marta D'Almeida disse...

Pelo menos por agora sou :'DD

Marta D'Almeida disse...

não conseguiste? :s